Arquivos de Categoria: Arquitetura

Alunos de Arquitetura e Urbanismo da Anhembi Morumbi criam sala de co-working

coworking

A Universidade Anhembi Morumbi inaugurou, no câmpus Mooca, zona leste da cidade, a sala We Working. Nesse espaço de co-working, os estudantes poderão compartilhar o ambiente para a realização de suas atividades acadêmicas.

O projeto desse ambiente foi elaborado totalmente pelos alunos do curso de Arquitetura e Urbanismo, vencedores do Concurso de Arquitetura – Salas de Co-working. Além do projeto, com auxílio de mentoria, os estudantes acompanharam toda a realização da obra.

Os alunos Everton Alves de Almeida, Felipe Santana Le Breton Ferreira, Juliana Tosi Hayashi e Sara Grimoni Marafão Honório conquistaram o 1º lugar do Concurso de Arquitetura – Salas de Co-working, promovido pela instituição de ensino no ano passado.  O objetivo do projeto era criar um espaço que integrasse os estudantes de diferentes áreas para troca de ideias, experiências e que estimulasse a criatividade.

Para atender a esse conceito, foram dispostas mesas compartilháveis à frente de sofás em duas laterais, ocupando um dos lados da sala. No outro canto, uma arquibancada foi criada para dar um ar mais despojado e atender aqueles usuários que preferem utilizar equipamentos menores, ler um livro ou mesmo apoiar o notebook no colo. O projeto contemplou ainda nichos para guardar volumes. Do outro lado da sala, pufes foram espalhados pelo chão.

Grafite

coworking grafite

Grafite de ex-aluno é destaque na decoração

O projeto vencedor do concurso previu também mesas modulares e cadeiras diferenciadas. A ideia é permitir a utilização da sala de co-working em diferentes layouts para atender outras demandas dos alunos. O espaço pode se transformar, facilmente, por exemplo, numa área para a realização de eventos ou até mesmo uma sala de aula.

A decoração contou com colaboração do artista plástico Paulo O’Meira, egresso do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Anhembi Morumbi. Ele produziu um grafite, em uma das paredes da sala, que garantiu mais personalização e estilo ao espaço.

Mais informações: https://portal.anhembi.br/

Anúncios

Apartamento vira loft em projeto do arquiteto Ricardo Abreu

Loft assinado pelo arquiteto Ricardo Abreu - foto Marcelo Magnani (1)

O arquiteto Ricardo Abreu assumiu o desafio de transformar um pequeno apartamento localizado na região dos Jardins, em São Paulo, em um moderno e aconchegante loft. Para isso, todas as paredes originais do imóvel de 27 m² foram derrubadas, permitindo máxima integração dos ambientes.

“Sendo um apartamento compacto, a maior dificuldade foi garantir ao proprietário todas as atividades mínimas, como cozinhar, descansar, além de eventual home office”, explica. Apesar do pouco espaço, preto e cinza foram as cores predominantes escolhidas para o piso, mobiliário, algumas paredes e cortinas. No entanto, isso só foi possível pela abundante iluminação natural proporcionada pelas grandes aberturas. As paredes e bancada da cozinha foram revestidas com cimento queimado, e a marcenaria une cozinha e área de estar, permitindo a integração dos ambientes.

O neon sobre a parede da sala (desenhado pelo proprietário, um publicitário e designer de 30 anos) é destaque na decoração. Retrata uma pin-up girl em neon vermelho, provocando um efeito luminoso que interfere nas cores sóbrias do restante do apartamento.

A criatividade de Ricardo Abreu no bom aproveitamento dos espaços também é evidente no banheiro de apenas 2,7 m². Por contraposição, ele é todo revestido em porcelanato vermelho, causando um contraste com as demais cores sóbrias. Para aumentar a sensação de amplitude, apostou no uso de espelhos e louças brancas.

Custo-benefício

O visual arrojado se completa com o uso de metais assinados pela Meber. Tanto a torneira de parede quanto os acessórios são da consagrada linha Quadra, que apresenta estética forte e imponente.

Com traços geométricos em perfeita harmonia, os metais dessa coleção possuem beleza marcante e funcionalidade sem igual. As peças são ideias para ambientes vigorosos e crivados de personalidade. “Utilizamos a torneira de parede Quadra deste apartamento por associar o design em linhas retas, além do custo e benefício”, destaca.

Mais informações: www.abreuborges.com.br | www.meber.com.br.

(Foto: Marcelo Magnani)

 

Conheça quatro cozinhas assinadas pelo escritório Korman Arquitetos

Espaços integrados, marcenaria sob medida e materiais de fácil manutenção atendem às necessidades do dia a dia. A cozinha consagra-se, definitivamente, como o coração da casa. Para acompanhar o estilo de vida contemporâneo, os projetos para cozinhas exploram a integração com as salas de jantar e estar, além de apostar em marcenaria sob medida para as necessidades do morador e materiais que têm a praticidade como ponto forte.

Marcenaria para deixar tudo à mão
Projeto Korman1 - (Foto JP Image)

Projeto: Korman Arquitetos | Fotos: JP Image

A moradora do loft adora cozinhar para os amigos e a família. Para criar a cozinha dos sonhos, a arquiteta Carina Korman alterou o antigo layout em L ao acrescentar a ilha com cooktop. Na marcenaria, os temperos e grãos relacionados à alimentação saudável ganharam prateleiras exclusivas para deixá-los à vista. Pensando na organização das louças e no cantinho do bar, o escritório se inspirou em modelos antigos e desenhou o bufê de laca verde clara com vidro e pés de ferro. Clara e generosa, a mesa de jantar é rodeada por trios de cadeiras, com cores diferentes em cada lateral, e um banco estofado.

Soluções para poucos metros quadrados
Projeto Korman 2 - (Foto JP Image)

Projeto: Korman Arquitetos | Fotos: JP Image

Na cozinha deste loft masculino, o escritório destaca suas soluções para espaços pequenos. De madeira preta, a porta de correr esconde a pequena área de serviço, que abriga tanque, máquina de lavar e boiler de aquecimento. Quando aberta, a porta cobre a geladeira. Na bancada, as cadeiras Panton, do designer dinamarquês Verner Panton, deixam a área de refeições informal e despojada. O móvel, que aproveita bem o espaço sob a escada, recebe as louças.

Cozinha moderna e funcional
Projeto Korman 3 - (Foto Gui Morelli)

Projeto: Korman Arquitetos | Fotos: Gui Morelli

Na cozinha deste apartamento, a pequena ilha central atende ao hobby da moradora, que adora preparar refeições para seus convidados. Priorizando a praticidade, as arquitetas Ieda e Carina Korman escolheram o aço inox como revestimento da bancada. A marcenaria combina acabamentos em pintura cinza claro e vidro turquesa. Para favorecer o ambiente, a iluminação indireta foi posicionada em vários pontos do forro.

Integrada ao estar
Projeto Korman 4 - (Foto Gui Morelli)

Projeto: Korman Arquitetos | Fotos: Gui Morelli

Para atender ao pedido dos moradores por ambientes integrados, a cozinha é conectada à sala de estar, com o uso do mesmo piso. Nos armários, produzidos com laminado melamínico, predominam a variação do preto e vidro cinza. A mesa de vidro ao centro, que chama atenção por sua altura, foi escolhida para trazer leveza. O objetivo é que, durante uma refeição e outra, os proprietários possam desfrutar da vista geral do apartamento de 150 m².

Mais informações: www.kormanarquitetos.com.br

 

Casa flutuante na Espanha é construída com vidros da Guardian Glass

Casa Flutuante

A Guardian Glass foi escolhida como fornecedora de vidros de controle solar para “Punta Mar”, primeira  casa flutuante da Espanha. Com projeto do estúdio de arquitetura Mano de Santo e o KM Zero Open Innovation Hub, o protótipo da casa flutuante foi inaugurado no Club Náutico, na cidade de Dénia, no Mar Mediterrâneo.

Os idealizadores do projeto arquitetônico garantem que é, ao mesmo, minimalista, funcional e não agride o meio ambiente. Segundo eles, a Punta de Mar promove uma experiência sensorial com tudo que a rodeia. Seu  objetivo é proporcionar integração com o ambiente natural com intimidade, conforto, relaxamento e sensação de bem-estar para os convidados.

O projeto só foi possível graças ao invólucro de vidro fornecido pela Guardian Glass. A estrutura usa vidro triplo – processados pela Control Glass. É formada pelo vidro de controle solar Guardian SunGuard SN 70/35 HT, vidro Guardian ExtraClear e o vidro laminado Guardian ClimaGuard Premium2, usado para reforçar a segurança geral e a eficiência energética.

A unidade de vidro fornece 61% de transmissão de luz e 32% de fator solar. Isso significa que o vidro permite a entrada abundante de luz solar, bloqueia a maior parte do calor. Com isso, proporciona à Punta de Mar excelentes níveis de isolamento térmico, controle solar, segurança e isolamento acústico, criando um núcleo com alto desempenho e eficiência energética.

O vidro proporciona um visão muito mais transparente, vívida e sem obstrução do mar e do ambiente natural. Também permite que os hóspedes experimentem uma integração total com seu entorno em constante mudança.

“Tendo em mente as características deste projeto, onde foi necessário resolver demandas extremas, buscamos a excelência dos vidros da Guardian Glass”, diz Francesc de Paula García, arquiteto do estúdio de arquitetura Mano de Santo. Segundo ele, além disso, o suporte técnico da empresa também foi fundamental.

O design de interiores do projeto explica que foi especificado o vidro Guardian SunGuard HD Silver 20 (em áreas de guarda-roupa, cabeceiras de cama e banheiro). O objetivo foi brincar com diferentes reflexos. Devido aos seus vários efeitos espelhados, a privacidade pode ser melhorada nas áreas mais íntimas, enquanto cria efeitos interessantes e divertidos em outros espaços, proporcionando uma sensação de emplitude e imersão do exterior com o interior. Casa Flutuante1

“A importância do vidro, assim como de todos os outros materiais que escolhemos, tem sido essencial para uma conexão total com o entorno”, destaca Garcia. Para ele, o vidro, em particular, deve ter um desempenho em termos de transparência que permita isso (além do isolamento), assim como assegurar vãos de grandes dimensões para resolver também a questão do conforto. “A isto, junta-se o fato de o vidro utilizado na sala permitir uma experiência de 360 graus”, afirma o arquiteto. Ele conta que os hóspedes se sentem parte integrante da paisagem. “É uma experiência de integração total e o vidro é fundamental para conseguir isso.”

Como complemento perfeito para o vidro, os fechamentos deslizantes do projeto se destacam. Eles permitem a máxima abertura de portas e janelas usando perfis de alumínio reduzidos para criar vistas desobstruídas e maximizar a luz natural.

Layout e tecnologia para o hóspede

Com uma área total de 74 m², o espaço foi projetado para o uso de duas pessoas. É dividido em dois andares, com design e equipamentos minimalistas. O primeiro andar, de 40 m², tem uma cabine com banheiro e um terraço privado que serve como uma extensão do espaço interior. O segundo andar, de 34 m², é um deck de chill-out, projetado para relaxamento. Ambos os espaços têm iluminação e música de fundo.

Outra característica da Punta de Mar é que os hóspedes têm controle contínuo de sua experiência. Eles usam um aplicativo de automação residencial que permite tomar decisões sobre aspectos específicos da acomodação, como gerenciar a iluminação, o som, as fragrâncias e o nível de segurança. Esses controles podem ser aplicados a partir da própria plataforma ou remotamente.

A iluminação na Punta de Mar é biodinâmica. Reproduz a luz natural de fora para dentro. À  medida que o dia avança, a luz varia seu tom para se assemelhar às variações de luz natural.

Compromisso de sustentabilidade

A Punta de Mar é uma iniciativa turística sustentável que não gera resíduos. É uma estrutura modular com um sistema baseado em “Plug & Go”. Além disso, integra-se com o entorno e utiliza materiais com baixo impacto ambiental.

Outro benefício é que a estrutura é rebocável por água e facilmente transportada por estrada. Isso significa que pode ser deslocada para diferentes paisagens naturais e cenários que tenham ligações de energia elétrica (como marinas ou praias privadas de hotéis) de forma a oferecer experiências únicas e exclusivas aos hóspedes.

Mais informações: www.guardian.com

 

 

Paisagista recomenda plantas e flores para amenizar o calor

imagem_release_1588415

Muitas vezes o ar condicionado e o ventilador não dão conta de refrescar os ambientes. Neste verão, as temperaturas têm ultrapassado níveis recordes. Para ajudar a refrescar a casa neste calorão, a paisagista Rayra Lira explica como deixar o ambiente mais refrescante com a introdução de plantas e flores na decoração.

Gibóia, lírio da paz, maranta, costela de adão, pleomere e árvore da felicidade, segundo a paisagista, são algumas espécies indicadas para se ter em casa. “São plantas resistentes, esteticamente bonitas e apropriadas para ambientes internos,” explica Rayra Lira.

“Os benefícios para a saúde são muitos como, por exemplo, a melhora da concentração e a diminuição do estresse e do cansaço mental”, garante a paisagista. Segundo a profissional, as plantas podem reduzir os níveis de ansiedade, e seu cheiro pode ajudar a melhorar a qualidade do sono e a produtividade durante o dia.

E os benefícios, segundo Rayra Lira, ainda vão mais além. Ela explica que as plantas podem prevenir irritações nos olhos,  problemas respiratórios e  dores de cabeça. Segundo a paisagista, as plantas também contribuem para a absorvição de gases tóxicos do ambiente e para auxiliar no controle da umidade.

Flores

As flores são outra alternativa para trazer a natureza para o lar, deixando  o clima mais refrescante. Rayra Lira indica as espécies que se sobressaiam nos cantos ou varandas. Entre essas, ela cita begonia, azaléia, kalantiva, kalanchoe, lírio. Para cima da mesa ou mesinhas de centro, a paisagista sugere espécies como orquídeas, antúrio, plantas de corte, como tulipa, gérbera, helicônia, tulipa, estrelízia.

Mais informações: http://www.jliragreenlife.com.br/

 

 

Projeto de Bruno Moraes adapta apartamento às necessidades de casal

Apto Santo Amaro

O arquiteto Bruno Moraes, do escritório Bruno Moraes Arquitetura, comandou a reforma de um apartamento de 85 m² em São Paulo. Entregue pela construtora com acabamentos básicos, o imóvel passou por uma série de intervenções para adaptar a planta às atividades do casal, dono da residência.

A reforma exigiu uma série de modificações, entre elas a derrubada de paredes. Entre elas, a parede entre a cozinha e a sala. “Mas como não conseguimos abrir a cozinha totalmente por causa de um pilar, resolvemos revesti-lo com espelho”, lembra o arquiteto. Mesmo com o imprevisto, o espaço ganhou ilha gourmet, torre de cocção e lava-louças. Presente de casamento, a geladeira branca foi adesivada para combinar com o cinza da marcenaria.

A mesa de jantar, iluminada por três pendentes de concreto, fica junto à ilha. Na parede do bar, o ladrilho hexagonal combina com as luminárias e também com o piso de porcelanato, que reproduz o visual do cimento queimado. A prateleira decorativa, sustentada por um tirante de aço, completa o conjunto com charme.

Em alguns dias da semana, os moradores costumam trabalhar em casa. Por isso, incluir um escritório no projeto foi providencial. O home office ocupa o espaço de um dos três dormitórios e, para ganhar espaço, o painel de madeira com elementos vazados substituiu a antiga parede de alvenaria.

Na sala de TV, a parede e a porta da varanda saíram de cena para unir os dois ambientes. Os tijolinhos de barro e o móvel que se estende até a sacada dão unidade visual aos espaços. Enquanto isso, o sofá confortável recheado de almofadas está sempre pronto para as maratonas de séries. O décor mescla referências do minimalismo oriental e do estilo industrial.

Com clima de lounge, a varanda traz uma solução esperta para esconder a condensadora de ar-condicionado. O equipamento fica dentro do banco de madeira, que funciona ainda como baú para guardar utensílios de limpeza.

Aconchego

No lavabo, a bancada entregue pela construtora foi aproveitada, mas o ambiente ganhou piso e papel de parede novos. Na lavanderia enxuta, o tanque de embutir economizou espaço na superfície do tampo de quartzo, enquanto o varal foi desenvolvido sob medida.

Sinônimo de aconchego, o quarto do casal coleciona soluções para espaços pequenos. Foram utilizadas portas espelhadas nos armários, prateleira fazendo a vez de mesa de cabeceira e gavetões sob a cama. “O casal é oriental, por isso criamos a cama como um tablado de madeira, que ultrapassa a medida do colchão”, explica o arquiteto. “Esse móvel, que funciona muito bem para os moradores se sentarem e calçarem os sapatos, fica na altura perfeita para cumprir essa função”, complementa.

O banheiro recebeu revestimentos novos no piso e dentro do boxe, seguindo uma paleta com nuances de cinza. Exemplo de um projeto focado em cada detalhe, o ralo linear e o nicho de quartzo arremataram o espaço do banho.

Mais informações: (11) 2062-6423 –  www.brunomoraesarquitetura.com.br

@brunomoraesarquitetura

(Foto: Luís Gomes)

Conheça dicas de como planejar banheiros para diversos tamanhos

As arquitetas Denise Barretto e Nicole Finkel dão dicas valiosas sobre banheiros de vários tamanhos. Pequenos, médios ou grandes, os banheiros são espaços de relaxamento e bem-estar das residências. Mas é preciso planejamento para deixar esse ambiente da casa de acordo com o gosto de cada morador.

A importância do projeto

O que poderá conter o ambiente? Cabe acrescentar um segundo chuveiro dentro do boxe? É possível ter duas cubas numa única bancada? Essas e outras perguntas serão respondidas pelo projeto depois que o arquiteto conhecer o local e fazer uma longa entrevista com os usuários do ambiente.

É imprescindível conhecer o estilo e modo de vida de quem vai usar o ambiente, desvendar os hábitos, os hobbies e as expectativas de cada um. Em seguida, o profissional se encarregará de definir as medidas do cômodo a fim de desenhar o layout e detalhar minuciosamente metais, louças sanitárias, mobiliário, acabamentos etc.

O que não pode faltar em banheiros pequenos

Em ambientes enxutos, principalmente, torna-se indispensável um bom planejamento, fazendo com que tudo seja equacionado na área disponível. Na maioria das vezes, o projeto faz escolhas para otimizar espaço, como trocar o bidê por uma ducha higiênica, mais compacta. Abrir mão de dispor de dois chuveiros e duas cubas também é uma maneira de evitar aperto. A arquiteta Nicole Finkel dá mais dicas para cômodos com metragem reduzida.

  • Eleger uma paleta clara auxilia na hora de garantir amplitude. Para essa finalidade, o espelho também é um importante aliado fazendo com que o lugar pareça ser maior;
  • Vale aproveitar toda a extensão das paredes, com nichos ou prateleiras.
  • Cuidado com a profundidade das peças para não ocupar espaço demais;
  • Não dispense nenhum cantinho.
  • Opte por portas de correr também em boxes e gabinetes;
  • Dê preferência às bacias sanitárias com tamanho compacto;
  • Cubas de semiencaixe permitem dispor de bancadas mais estreitas.

Banheiros médios garantem mais flexibilidade

Em um banheiro médio, o projeto consegue oferecer mais elementos de bem-estar. Layouts otimizados rendem lugar para boxes maiores, na maioria dos casos, e os moradores podem usar, até mesmo, dois chuveiros ou até de uma banheira. Veja outras recomendações da arquiteta Nicole Finkel.

  • O boxe pode ser mais espaçoso e dispor de uma abertura para fora;
  • Se o banheiro for utilizado por um casal, é possível ter uma bancada maior com duas cubas;
  • Uma metragem mediana possibilita ter uma banheira ocupando a mesma área do chuveiro, no boxe.

Espaços generosos transformam banheiros em salas de banho

Um banheiro generoso é terreno fértil para a criatividade de um arquiteto. É possível transformá-lo em uma sala de banho bem equipada e repleta de atrativos para os moradores, como instalar uma TV na área do boxe. “Espaços com uma ótima metragem proporcionam boas doses de saúde e bem-estar sem precisar sair de casa”, afirma a arquiteta Denise Barretto, que listou algumas sugestões.

  • Vale apostar em um sistema de som e uma TV para curtir os programas prediletos;
  • A banheira não precisa ocupar a mesma área do chuveiro, no boxe;
  • Dá para incluir cubas duplas, bancada grande, espelho de uma ponta etc.
  • Alguns projetos conseguem incluir até mesmo penteadeira

Mais informações:

Arquiteta valoriza o preto em reforma de cozinha

Projeto arquiteta Manoela Py - foto Marcelo Donadussi (3)

Já faz algum tempo que o uso da cor preta em projetos arquitetônicos deixou de significar sobriedade e monotonia – agora, remete a um estilo urbano e elegante. A arquiteta Manoela Py, do escritório Pura! Arquitetura, foi responsável por levar essa atmosfera cosmopolita à cozinha de 8,14 m² de um apartamento com três dormitórios localizado em Porto Alegre (RS). Os moradores, um jovem casal que utiliza bastante o cômodo, inclusive a churrasqueira integrada, queriam um ambiente prático, charmoso e confortável.

O apartamento foi entregue pela construtora com revestimentos de parede e cozinha já com piso, além do forro de gesso pronto. Os proprietários quiseram aproveitar alguns móveis da moradia anterior, por isso, a arquiteta levou essas características em consideração para escolher as cores dos novos itens, todos na paleta de branco, preto, tons de bege e amadeirados para garantir uma ambientação harmônica. “O que fizemos foi projeto de mobiliário fixo, bancadas e escolha de todo o mobiliário solto. Também selecionamos e instalamos luminárias de acordo com o layout do projeto”, conta a arquiteta.

Um dos destaques do projeto é o fato de que, mesmo com a predominância da cor preta, não é um cômodo ‘pesado’. Para encontrar esse equilíbrio, alguns truques: piso, paredes e forros brancos; bom sistema de iluminação; pouca variedade de revestimentos (apenas granito preto, melamínico preto, melamínico amadeirado e cerâmicas brancas) e um espelho sobre a bancada para contribuir com a atmosfera urbana e dar sensação de amplitude.

“Outro fator que contribui nesse ambiente é o pé direito alto, assim os móveis aéreos não encostam no forro e mudam a percepção do ambiente, deixando-o mais amplo. Estabelecemos, assim, o contraste de elementos necessário para uma cozinha atemporal”, completa. O toque final ficou com o monocomando de bancada cromado da linha Minimal, da Meber, garantindo eficiência às tarefas dos moradores e um charme extra ao décor do cômodo.

“Os projetos assinados pelo Pura! Arquitetura buscam estabelecer ambientes atemporais, desvinculados de modismos, para que os clientes não enjoem dos espaços de suas casas. Assim, a cozinha deste apartamento não foi pensada isoladamente – ela faz parte de um projeto maior de ambientação com as salas, uma vez que é totalmente integrada. Buscamos criar um ambiente prático, bonito e jovem para a vida cotidiana acontecer”, finaliza Manoela.

Destaque da bancada

O dia a dia na cozinha fica muito mais funcional, prático e belo com o monocomando para bancada Minimal, da Meber. Seu design versátil e acabamento cromado exibem características que permitem harmonizar com diversas propostas e projetos de ambientes sempre atuais. No quesito utilitário, permite regular a temperatura da água – quente, fria ou a mistura entre ambas – com um único movimento.

Mais informações:  www.puraarquitetura.com.br

(Fotos: Marcelo Donadussi)

Arquiteto mostra como decorar a sala de estar

Projeto Bruno Moraes de Sala de Estar (Foto de Luis Gomes)

Decorar a sala de estar, ambiente que não exige tantas especificidades como a cozinha e o banheiro, pode até parecer uma tarefa fácil. Mas o planejamento é tão primordial para o living quanto para as demais áreas da casa. O arquiteto Bruno Moraes, do escritório Bruno Moraes Arquitetura, ensina quatro etapas e dá dicas preciosas para acertar na decoração desse ambiente.

Atenção às medidas!

Antes de decorar qualquer lugar da casa ou do apartamento, o primeiro passo imprescindível é fazer um levantamento detalhado das medidas do espaço, inclusive do pé-direito. “A partir desse cuidado fica mais fácil identificar quais decisões tomar na hora da decoração”, explica Bruno. Segundo o arquiteto, a metragem vai influenciar diretamente várias escolhas, desde o estilo e as medidas do mobiliário até a paleta de cores.

Salas de estar pequenas pedem cores neutras e estruturas leves, além de uma atenção especial na hora de combinar os tecidos. “É possível usar cores e estampas em salas menores, mas a chance de errar é maior. Convém tomar mais cuidado para não criar vários pontos de interesse, deixando o ambiente com muita informação”, aconselha o arquiteto. Móveis com estilo bruto, escuros e pesados não são indicados, pois fazem com que o ambiente pareça ainda menor.

Livings maiores permitem mais pontos focais e, portanto, aumentam as opções de cores, de estilos e de escalas. “Escolher móveis de destaque é uma maneira de compor centros de interesse no ambiente”, afirma Bruno.

Defina um estilo!

Para não se perder na hora de comprar móveis e objetos – e acabar com um ambiente confuso – o segredo é estabelecer um estilo para a sua sala e imaginar as peças dentro desse contexto. “Pense sempre se o item que você pretende adquirir vai conversar com o restante da sala”, orienta o profissional. Mesmo seguindo um estilo ou uma tendência, é válido acrescentar toques de personalidade, que podem estar em lembranças de viagem, peças de família ou até mesmo em uma almofada ou um quadro. “A decoração precisa refletir as características do morador, caso contrário ela perde a graça”, complementa.

Veja o tamanho dos móveis!

Além da metragem do living, é importante conhecer todas as dimensões dos móveis e de tudo que vai compor a decoração. Essas informações ajudam a fazer uma espécie de ensaio no ambiente e a ter certeza que não haverá surpresas no caminho, como o móvel não entrar no elevador ou não passar pela porta de entrada. “O ideal, para decorar a sala sem perigo de errar, é ter um projeto básico em mãos a fim de identificar como ficará a disposição de móveis e objetos. Assim, há tempo de mudar e substituir as escolhas antes mesmo de comprar. Geralmente, as pessoas têm dificuldade de visualizar como tudo vai ficar, por isso o projeto ajuda a não fazer um investimento em algo que não combine ou não caiba no espaço”, explica Bruno. Também é recomendado estar ciente do tipo de material de que as peças são feitas e avaliar se é fácil de limpar, se é durável e se suporta o peso dos objetos que serão guardados.

Pense na iluminação!

É importante pensar nos pontos de luz assim que a disposição dos elementos na sala já estiver definida. Inicie determinando a quantidade de luz que o estar necessita: a iluminação não deve ser exagerada e nem insuficiente. Feito isso, chegou a hora de identificar os pontos de interesse, aqueles nos quais serão instaladas luminárias para destacar um objeto, um revestimento ou um móvel.

Para a temperatura de cor, Bruno recomenda 3.000K, valor que vem descrito na embalagem da lâmpada e indica a cor da luz. “Uma lâmpada de 3000K se assemelha muito à luz do dia, deixando o ambiente mais aconchegante e acolhedor”, diz. Outro número significativo na embalagem da lâmpada é o Índice de Reprodução de Cor (IRC). “Esta sigla é importantíssima na decoração, pois mostra o quanto a lâmpada vai reproduzir fielmente as cores na sua sala”, explica o arquiteto, que sugere o uso de lâmpadas com IRC maior que 85%.

(Foto: Luís Gomes)

 Mais informações: (11) 2062-6423 – www.brunomoraesarquitetura.com.br

Conheça benefícios de incluir cozinha americana nos projetos

Cozinha Americana

Uma tendência cada vez mais comum nos projetos arquitetônicos e de design de interiores, tanto em casas quanto em apartamentos, é a cozinha americana. Trazida dos Estados Unidos, ela favorece a integração entre ambientes, proporcionando uma série de vantagens aos seus moradores, como mais luminosidade e otimização do espaço.

Você já deve ter visto uma cozinha americana na casa de algum conhecido: ela é integrada à sala de estar, normalmente separada por um charmoso balcão, que garante a praticidade do projeto. A Construtora Trisul preparou uma lista com as quatro principais vantagens de ter uma cozinha americana em seu apartamento ou casa. Confira:

Mais praticidade

Esse é um dos pontos mais interessantes apresentados pelos projetos de cozinha americana. Isso porque eles promovem a integração da sala de estar à cozinha, que normalmente são os cômodos mais usados em uma residência. Assim, as atividades de rotina da sua casa ganham mais conforto.

Além disso, normalmente esses ambientes são planejados para receber móveis feitos sob medida. Isso facilita na organização e no melhor aproveitamento do espaço. Assim, você terá sempre uma cozinha arrumada para suas refeições ou para receber os amigos e a família.

Interação entre os ambientes

Lembra-se de como funcionava antigamente? Normalmente, em uma festa ou jantar, alguém sempre ficava isolado na cozinha tradicional, preparando os alimentos, organizando os pratos, talheres e bebidas, enquanto as demais pessoas socializavam na sala. O conceito de cozinha americana veio, também, para derrubar, literalmente, essas paredes que separavam a diversão do trabalho.

Um apartamento ou casa com esse tipo de projeto certamente promove maior interação familiar, já que os espaços são compartilhados. Assim, fica mais fácil ver televisão ou conversar enquanto está nas atividades culinárias. Ninguém mais fica isolado!

Sensação de amplitude

Essa é uma grande vantagem, principalmente nos apartamentos mais compactos, nos lofts ou estúdios. O projeto arquitetônico da cozinha americana também tem como objetivo oferecer aos moradores uma sensação de amplitude, uma solução perfeita para que dois cômodos, que poderiam ser pequenos caso houvesse uma parede, ficassem maiores.

Com a cozinha americana, é possível desenvolver projetos de design de interiores mais criativos, que saibam aproveitar bem cada cantinho desses dois ambientes e torná-los funcionais e charmosos. Escolhendo bem a disposição e o tipo de móveis e objetos de decoração, a cozinha americana é perfeita para deixar o ambiente mais descolado.

Mais iluminação

Deixamos para o fim o que talvez seja a característica mais importante dos projetos de cozinha americana: a luminosidade. A sensação de amplitude confere essa vantagemao espaço, pois, sem a parede que poderia separar os ambientes, a luz natural entra com mais facilidade. Essa é uma vantagem que faz toda a diferença nos apartamentos compactos, por exemplo.

Com mais luminosidade natural, o projeto ganha, inclusive, em economia com os custos de energia elétrica. Já deu para perceber que ter uma cozinha americana ajuda a valorizar o imóvel e tornar a vida de seus moradores mais agradável. Mas é preciso se lembrar de que você deverá ter cuidado na hora de executar o projeto e a decoração dos ambientes. Isso porque eles devem ter harmonia visual e funcionalidade.

%d blogueiros gostam disto: